Home África Marrocos Marrocos com Criança: um roteiro lúdico e com muitas experiências
Marrocos com Criança: um roteiro lúdico e com muitas experiências

Marrocos com Criança: um roteiro lúdico e com muitas experiências

8

O nosso caso de amor com Marrocos começou quando recebi um vídeo com imagens lindas de lá e me encantei profundamente pelo país. Mas “Marrocos com criança pequena? Ou dessa vez seríamos só nós dois como uma viagem de lua-de-mel? Puxa, mas a Luna ia amar andar de dromedário, ver o colorido de Marrakech, dormir no deserto…” E quando comentei com algumas pessoas, muitas falaram que era perigoso Marrocos.

Então, como fizemos quando fomos para a África do Sul (Nosso roteirinho: Africa do Sul com Criança, um roteiro mágico e cultural), começamos a pesquisar mais a fundo sobre Marrocos e montar um roteiro inteiramente lúdico e cheio de possibilidades para a Luna, e é claro para gente também. Um roteiro divertido e “pra lá de Marrakech”, que pudéssemos mostrar o melhor da cultura marroquina e ajudar outras famílias que querem visitar Marrocos com criança! E pasmem, não tem nada de perigoso lá, pelo contrário, eles amam criança.

Foram 3 meses pesquisando e virando o google de cabeça para baixo, e essa tarefa é sempre minha que amo (Flávia). Mais uma vez, esbarrei na questão de não encontrar muitos sites com relatos de famílias com filhos, mas encontrei muitos relatos de que o país era super tranquilo de visitar.

O primeiro passo foi dividir a viagem em duas partes e pesquisar os interesses de cada região para determinar quanto tempo ficaríamos em Marrocos. Então, no mapa abaixo mostramos os lugares por onde passamos.

Na primeira etapa – Marrakech, Ouzoud, Essaouira, Garganta de Dadés, Todra, Ait Ben Haddou, Ouarzazate, Tinghir, Rissani e Merzouga. Na segunda etapa – Floresta de Cedro, Ifrane, Fès, Chefchaouen e Tânger.

Alugar carro x contratar um serviço personalizado

marrocos
À esq. a Ângela, da Ppath Morocco acompanhando a gente no Deserto e à dir. a Paula, da Viagem para Marrocos com a gente no caminho para Fès.

Antes de falar do nosso roteiro preciso destacar que a gente até pensou na possibilidade de alugar um carro e rodar pelas cidades, mas ainda bem que não fizemos. As fotos acima já mostram um pouco da nossa diversão em Marrocos e tudo isso graças as empresas com serviços personalizados.

Sempre alugamos carro e adoramos rodar livremente pelos lugares, sem hora marcada e sem muito compromisso, mas em Marrocos é um pouco diferente, principalmente com criança. Percebemos que não é só chegar na cidade e visitar os pontos turísticos. O país tem muito mais para oferecer e perde~se muita coisa bacana quando não estamos com pessoas certas que conhecem o lugar… Tem experiências únicas e inesquecíveis que não estão nos guias de viagem e nem em blogs! Os serviços personalizados são tão importantes porque  são vivências montadas que mudam a todo tempo de acordo com o perfil do viajante, além de que muitas cidades são verdadeiros labirintos e cheio de gente na rua o que nos deixa perdidos. Uma verdadeira loucura!

Escolhemos 2 serviços personalizados que amamos: a Ppath Morocco (Ângela) e a Viagem para Marrocos (Paula). As duas falam português, são super atenciosas e possuem prestadores de serviços sérios. Ambas realizam passeios por todo Marrocos com diferenciais de outras empresas. Nós dividimos a viagem em duas partes e separamos as empresas, apenas por uma questão de organização das filmagens e dos passeios.

deserto2

Marrocos com Criança: um roteiro lúdico e com muitas experiências

Quando saímos do Brasil fomos para Madri e de lá pegamos um vôo para Marrakech pela Air Europa. Isso, porque faríamos também uma viagem pela Espanha, mas isso é um outro post que contarei em breve. Mas calma, você não precisa fazer a loucura que nós fizemos porque existem vôos direto do Brasil pelas companhias aéreas TAP Air Portugal, Iberia, Air Maroc, Air France e KLM.

Ficamos 12 dias em Marrocos e fomos em plena primavera o que achamos uma época linda, porém é alta temporada (chegamos no dia 8 de abril e partimos no dia 20 de abril). Lá nos disseram que a melhor época para ir é de outubro a novembro. Como falamos, dividimos a viagem em duas partes.

Parte 1 (Organização Ppath Morocco)

Dia  1 e 2 – Explorando Marrakech

Marrakech tem a parte nova e a parte antiga, que é chamada de Medina, que fica dentro das muralhas com ruas estreitas e becos. Ficamos hospedados no Riad Shambala (parceria com Viagem para Marrocos), bem nessa parte histórica, porque queríamos conhecer os chamados Riads, que são casas ou palacetes transformados em pousadas. Geralmente eles são pequenos, intimistas e gerenciados pela própria família. 

shambala

shambala4

Nesse post “Riad Shambala, um lugar tranquilo na Medina de Marrakech” contamos tudo sobre o Riad Shambala. Mas é claro que você pode optar pelo hotéis mais modernos e maiores. Faça a pesquisa no booking e garanta ótimos preços!

Pesquise e reserve um hotel em Marrakech

booking

 

 

 

Nesses dois primeiros dias fizemos um city tour diferenciado para ter um panorama da cidade e começar a entender a cultura tão diferente e colorida de Marrocos. Enfatizo que não foi só ir nos pontos turísticos para fotografar, e sim, ao longo do percurso, fomos tendo experiências super bacanas e entendendo um pouco de como eles vivem, o que comem, como pensam, suas histórias e crenças.

palaciobahia

souks

carruagem

Faremos um post  contamos tudo que fizemos e por onde passamos, mas adianto que nos divertimos bastante! Visitamos jardins lindos e palácios exuberantes, passeamos de carruagem, conhecemos os artesanatos locais e o colorido dos souks, degustamos doces típicos, vimos o belo pôr do sol rosado na zona rural de Marrakech e até fizemos aula de culinária marroquina em família (Leia o post”Sanssouci Collection e a incrível aula de culinária em Marrakech“). Foi tudo um sonho!

 

Dia  3 – Visita às Cascatas de Ouzoud 

Eu tinha visto no Brasil fotos das belas quedas de Ouzoud, considerada a maior cascata de Marrocos com cerca de 110 m de altura, e comentei com a Ângela, da Ppath Morocco, que gostaríamos de conhecer.  Ela organizou um dia de passeio para lá com a RTours Transportes e saímos bem cedo, uma vez que fica cerca de 3 horas de Marrakech, numa região montanhosa de transição do Médio Atlas para o Alto Atlas. O carro era 4×4 bastante confortável e nem sentimos tanto a viagem. A estrada tem paisagens cênicas e passamos por vilas bastante típicas.

cascata

caminhocascata

Chegando lá, não é necessário guia para visitar as cascatas. Tem uma praça principal com várias barraquinhas e logo uma escadaria para chegar aos mirantes. Ao longo de todo o caminho tem tendas vendendo de tudo, sapatos, roupas, souvenirs, e conseguimos observar como as famílias berber locais montam o seu dia-a-dia e como ganham o seu dinheiro. Há também restaurantes para refeições mais completas e lanches rápidos.

cascatapraca

cascatacaminho

Descemos até o final onde tem barquinhos que levam as pessoas até a queda principal. Atravessamos para o outro lado para tirar fotos e conhecer mais um pouco. Não pudemos curtir tanto porque o dia estava chuvoso, então almoçamos e depois voltamos para Marrakech. Foi um passeio bacana para a gente que curte natureza e deseja ver atrações naturais do país, A queda é belíssima porém não espere ver quedas suntuosas como Foz de Iguaçu.

cascatabarco

cascata3

 

Dia 4 – Passeio pelas terras do Argan e a bela cidade portuária de Essaouira

Esse foi um dos passeios que amamos fazer! Saímos cedo de Marrakech e pegamos estrada rumo a cidade portuária de Essaouira que fica a 176 km de distancia. Nessa direção tudo é lindo demais e a montanha do Atlas nos acompanha grande parte da viagem. Passam pequenas cidades, paradas típicas e logo entramos na região do Argan, onde as surpresas acontecem e você vai precisar ler o post para descobrir. Você vai ver que Essaouira é uma cidade medieval cercada por muralhas e belíssimos cenários para fotografar.  Passamos o dia inteiro curtindo o lugar que parece estar na Grécia. Valeu demais o passeio!

essaouira2

essaouira4

 

Dia 5 e 6 – A caminho do Deserto de Merzouga

Nesse dia, deixamos Marrakech para trás e o nosso coração também…  Fomos em direção a mais uma aventura e loucos para conhecer o tão sonhado Deserto do Sahara. Merzouga é uma das portas de entrada do deserto e para chegar lá é uma longa viagem, que precisa ser dividida em dois dias para não ficar cansativo. Mas claro que não dormimos em um lugar comum e sim, em um dos lugares mais incríveis que conhecemos por aqui: a Garganta de Dadés ou Gorges du Dadés.

todra

dodes

Depois de mais de uma hora na estrada, já estávamos subindo o Atlas, chegando a mais de 2.000 metros de altitude e, em plena primavera, vimos neve nas montanhas. Ficamos emocionados porque nunca tínhamos visto! Luna pulou na neve, comeu a neve e até cantou a música da Frozen de tão feliz que ficou!

atlasneve

Bom, daí pra frente vimos muitas coisas bacanas como cenários cinematográficos onde foram gravadas cenas do Gladiador e A Múmia, uma cidade fortificada fundada em 757 que foi rota de caravanas no deserto, nos vestimos com roupas berbere e fomos em um lindo palmeiral, fizemos tatuagem de henna e até visitamos uma família berbere para conhecer a produção artesanal de tapetes.

 

DCIM100MEDIADJI_0224.JPG

IMG-20180414-WA0048

Chegamos à tardinha em Merzouga, no Hotel Nomad Palace, parceiro da Ppath Morocco. Aí, mais uma emoção tomou conta da gente quando pegamos um 4×4 do hotel e seguimos para o acampamento com tendas de luxo do hotel. Luna já estava caracterizada e ansiosa para ver o deserto laranja. Sabe o que é flutuar pelas areias lisinhas que parece de um planeta alaranjado? Nossa, quase chorei!

deserto4x4

deserto4

O Acampamento superou as nossas expectativas, nunca imaginei tendas tão confortáveis, banheiro privado e banho quentinho em pleno deserto. Piramos quando entramos em nossa tenda aconchegante que tinha mesinha na entrada para tomar chazinho de hortelã e cercada de lanternas e tapetes. Contamos tudo no post “Acampamento no Deserto do Sahara: conforto em tendas de luxo”.

deserto3

nomadpalace

desertoluna

Dia  7 – Passando o dia no Deserto

Acordamos às 6 h da manhã para ver o sol nascer, mas isso é opcional tá? (Se quiser ficar até mais tarde um pouquinho na cama pode ficar) Escolhemos uma duna bem alta, perto do nosso acampamento, e caminhamos devagar. Quem disse que dá sono gente? A adrenalina é tão grande que não dá sono não! kkk E lá vinha ele enorme, laranja e com seus raios brilhosos! Impossível esquecer esse momento em família que vibramos de felicidade!

deserto1

deserto6

Depois, demos umas voltas de 4 x4 pelas dunas douradas, aliás outra emoção que não pode faltar no passeio. É como fazer um rally e sentir a energia do Sahara em quatro rodas.

sahara

Quando voltamos do passeio de 4×4 fomos tomar o delicioso cafe da manhã do acampamento e voltar para a sede do hotel, sabe como? Em cima do dromedário! Isso mesmo! E tiramos de letra, porque não tem mistério algum, eles são super dóceis e calminhos. Não é cansativo para criança pequena porque o acampamento não é distante do hotel (levamos uns 40 minutos para chegar)

dessertodromedario

O Hotel Nomad Palace é lindo demais e tem uma vista especial de frente para as dunas. O hotel é enorme com vários pátios internos, duas piscinas, restaurante com comida boa, quartos confortáveis e espaçosos. Apesar de estar fora da cidade de Merzouga, achamos ele muito estratégico porque está de frente para o deserto e a saída fica muito mais fácil e tranquila para quem está com criança. Leia o post “Hotel Nomad Palace: incrível hospedagem em Merzouga”

nomadpalace3

nomadpalace5

nomadpalace6

Depois, fomos conhecer a Vila de Ramlia e ouvir a típica música Gnawa e em seguida visitar uma família nômade do deserto. Posso dizer que foram experiências fantásticas e enriquecedoras conhecer pessoas simples que vivem com tão pouco e são tão felizes. Luna levou brinquedos para as crianças e amou estar com elas.

gnawa

gnawa2

Parte 2 (Organização Viagem para Marrocos)

Dia 8 – A caminho de Fès

Hora de seguir para a segunda parte da viagem. Saímos com a Paula, da Viagem para Marrocos, bem cedo de Merzouga em direção ao norte do país, Fès. Essa parte da estrada é fantástica também. Passamos por vilarejos quase que escondidos, onde as casas tem a mesma cor das montanhas. Lindo demais! Passamos por muitos campos floridos por causa da primavera e por rebanhos caminhando livremente pela estrada.

caminho fez

Nossa primeira parada foi a Floresta do Cedro Gouraud, que é uma área florestal coberta de cedros do Atlas. Ela fica localizada na Cordilheira do Médio Atlas e tem cenário exuberante. Esta região é bastante famosa como destino turístico para os que curtem fazer caminhadas, caça e ski. Uma outra atração que chama atenção do lugar, são os enormes macacos das montanhas que ficam no parque e são alimentados pelos turistas.  Luna amou ver os macacos e alimentá-los.

floresta do cedro2

floresta do cedro

Seguimos para Ifrane, conhecida como a Suíça Marroquina. Uma cidade com arquitetura bastante diferente do que tínhamos visto até agora em Marrocos. Com ruas mais largas e bastante arborizadas, Ifrane está cerca de 1 hora de Fés. É onde as famílias marroquinas mais ricas e as europeias vem curtir a neve e esquiar, sendo um lugar de veraneio onde se vê muitas casas de temporada. Fizemos uma paradinha para uma caminhada pelas ruas e sentir o clima do lugar. Infelizmente não dormimos na cidade, mas achamos que vale a pena passar pelo menos uma noite, pois é uma gracinha com parques e centrinho fofos com cafés e lojinhas.

ifrane

ifrane2

Depois de 1 hora, chegamos em Fés, uma das cidades imperiais de Marrocos. Assim como em Marrakech, ficamos hospedados dentro da Medina, no Riad Les Edrisses, um riad mais simples mas bem localizado na parte antiga. Há também a parte nova da cidade com hotéis novos como o Ibis, Barceló e o Ramada.

Pesquise e reserve um hotel em Fés

booking

fesmedina1

Dia # 9 – Visitando a cidade imperial de Fés

Fés, como Marrakech, é outra cidade que consideramos muito difícil passear sem um guia local, principalmente se for caminhar pela Medina. (Tenho uma amiga que ela e o marido ficaram mais de 2 horas perdidos na Medina sem saber como sair… e olha que ela viaja o mundo…)

fesmedina2

É uma cidade bastante antiga, do século VIII, e a Medina possui ruas muito estreitas. Começamos com um tour pela cidade, destacando coisas mais bacanas para fazer com criança. No post “A cidade Imperial de Fés: 8 lugares lindos para visitar” contamos tudo direitinho  por onde passamos: adoramos conhecer a Medina e os souks, visitar uma fábrica artesanal de azulejos coloridos, ir até o mirante e ver a cidade de cima, visitar os jardins do palácio, conhecer a universidade mais antiga do mundo e ir até um dos cenários da novela O Clone – o curtume.

 

Dia # 10 – Cidade Azul de Chefchaouen

No dia seguinte, partimos para a cidade de Chefchaouen, chamada de Pérola Azul de Marrocos. Essa é outra cidade que não pode faltar no roteiro. Ela é simplesmente mágica com as ruas com mais de 50 tons de azul.

chaouen1

Parecia que caminhávamos pelas páginas de um livro infantil! Cada esquina, cada beco… tudo era um motivo para tirar muitas fotos. Ficamos encantados com as casinhas, com a praça principal e com as lojinhas com os pós coloridos. Nem preciso dizer que a Luna ficou fascinada, né?

chaouen3

chaouen

O Kásbah é outra atração imperdível, que é a incrível fortaleza histórica e monumento construído em 1471 por Mulay Ali Ben Mussa Ben Rached, o fundador de Chefchaouen. Em breve vamos escrever um post detalhando os dois dias que passamos lá.

chefchouen

Dia # 11 – Tânger

De novo, com o coração apertadinho, partimos de Chaouen, como a chamam carinhosamente. No caminho, não podiam faltar as belas paisagens e campos floridos que nos seguiram por toda a estrada até Tânger.

paisagem

tanger2

Tânger é uma cidade maior e industrial e com essas características acaba sendo um pouco diferente do que tínhamos visto até agora, mas também com coisas interessantes para conhecer. Como chegamos à tarde, tivemos pouco tempo para rodar pela cidade. Fizemos um city tour de 5 horas para conhecer alguns dos pontos principais como a Gruta de Hércules, o Mirante que divide o Mar Mediterrâneo do Oceano Atlântico, a Medina, o Farol e o Parque Perdicaris. Fizemos um passeio bem bacana e curtimos o dia.

tanger

tanger3

gruta hercules

 

Dia 12 – Travessia para a Espanha

Nesse dia encerramos a nossa aventura por Marrocos e podemos dizer que Marrocos com criança vale muito à pena, pois além de ser muito seguro é uma vivência inesquecível. Atravessamos o Estreito de Gibraltar rumo à Espanha e com muitas recordações na bagagem mas começando uma nova aventura pela Andaluzia que em breve contaremos para vocês em outro post.

 

E você, já foi para Marrocos? Deixe o seu comentário e compartilhe com a gente a sua viagem e suas dicas.

Procure pela hashtag que usamos nas redes sociais Facebook e Instagram: #vpaemmarrocos 

Inscreva-sem no nosso Canal You Tube e fique por dentro dos vídeos novos. Aproveita e dá um like e compartilhe com seus amigos.

Gostou? Compartilhe!

Facebooktwittergoogle_pluspinterestmail

Comment(8)

  1. Eu simplesmente AMEI o roteiro de vocês. Tenho pensado em conhecer o Marrocos, mas não tinha idéia do que fazer ou o que conhecer exatamente. Um lugar mais lindo que o outro. Vou guardar e com certeza me basear nele quando conseguir fazer esta viagem! 😉

  2. Estar com a Família Zenke no Marrocos foi muito divertido.A pequena Luna dá um show de vivacidade. Fiquei impressionada como ela absorve rapidinho as mudanças e sempre está muito antenada em tudo.Espero que essa experiência incentive muitas famílias e mostre que o Marrocos que tanto amo é um lugar bastante seguro . Nós da @umabrasileiraeomarrocos agradecemos pela experiência.

    1. Paulinha, foi maravilhosa a nossas aventura pelo Norte de Marrocos e recomendamos demais que as familias levem seus filhos! Já queremos voltar com tantas saudades. Obrigada pela parceria e pelo profissionalismo que nos atendeu.

Deixe uma resposta